18 de maio de 2006

Jejum de Amor- Howard Hanks


Que jóia rara. Viva Howard Hanks! Este é um daqueles filmes que justificam essa paixão que tenho pelo cinema desde menino.

Outro dia, conversando com um amigo (e dono do dvd), profundo conhecedor de cinema, ele comentou que o interessante do cinema é que quanto mais filmes você assistir e conhecer, mais filmes terá para assistir.

Pois não é que só agora, que estou passando à limpo a obra deste diretor genial, graças a generosidade de amigos que estão emprestando os filmes.

Isso sim é um filme de AÇÃO. Seus diálogos criativos e cômicos, não deixam a gente piscar. Cada palavra proferida é uma delícia de ouvir. Um simples Ah!, tem aqui um grande significado. Sério, os diálogos são tão rápidos, que quando o filme termina, parece até que estamos cansados, e ele parece maior do que realmente é. Uma linguagem totalmente moderna para o ano em que foi produzido, que foi em 1940!

Este filme foi baseado em uma peça de teatro de muito sucesso na época, daí o seu enredo se passar praticamente inteiro em uma sala de imprensa.

Cary Grant, Rosalind Russell e Ralph Bellamy, formam uma espécie de triangulo amoroso. Os dois primeiros são jornalistas e ex-casados, mas desde o começo percebemos que ainda se gostam. Mesmo o casamento tendo terminado pelo temperamento obsessivo com a profissão e o egoísmo de Walter Burs. Quando Hildy Johnson vai contar ao seu ex-patrão e marido que está noiva novamente e prestas a se casar (mais não com ele), ele faz de tudo para não perde-la, nem como amada e muito menos como repórter.

O que se segue é uma comédia em grande estilo e classe, com rara leveza, mesmo para colocar em pausa assuntos complicados, e mesmo naquela época já inerentes à sociedade americana, como a pena de morte, o mundo cão no jornalismo e até a dita instituição do casamento.

Uma delicia de comédia, imperdível. Realmente obrigatória para todos que se dizem adoradores da sétima arte.

4 comentários:

  1. Maravilha mesmo, Beto.. Howard Hawks é um dos maiores gigantes do cinema. Seus filmes tem uma graça que encanta. E ter Cary Grant numa comédia é um luxo.

    ResponderExcluir
  2. Beleza, Ailton. Pelo menos nesse caso a gente concordou, eh,eh,eh. Acho que vc não deve ter gostado muito do comentário abaixo deste.

    ResponderExcluir
  3. Your are Excellent. And so is your site! Keep up the good work. Bookmarked.
    »

    ResponderExcluir
  4. I find some information here.

    ResponderExcluir